Uma incrível jornada – A travessia do Salar do Uyuni

Sabe quanto bate aquela vontade de escrever? Então….eu resolvi associa-lá ao lugar mais incrível em que já estive.

Você deve estar pensando: Ela diz que todos os lugares que vai são incríveis!

Na verdade….de certa forma são.

E isso está associado ao meu conceito de viagem, afinal, para mim, viajar  não é apenas conhecer “um local”. É, principalmente, me conhecer, testar meus limites, sair da minha zona de conforto. E conhecer cada peculiaridade do local que se visita, do povo que ali habita e fazer um mergulho na cultura local.

Essa viagem aqui relatada, é sem dúvida uma viagem mental e espiritual!!! E para que gosta de astrologia então…pode pegar carona nesse cometa…. (piadinhas a parte).

Quanto à todos os lugares serem  incríveis, tem sempre aquele que, de certo modo mexe com você a ponto de nos fazer repensar valores, crenças e o propósito do que se está fazendo aqui.

E comigo não foi diferente. Talvez eu esteja novamente passando por um novo momento de transição, então achei que não haveria melhor momento para falar sobre isso aqui no blog.

IMG_1562

Esse mochilão teve um sentido de libertação para mim e  como estou achando que tá na hora de passar por mais um muito em breve…..To aceitando sugestões???

A travessia:

Essa é a famosa travessia que pode ser feita tanto pela Bolívia (Uyuni) quanto pelo Chile (San Pedro de Atacama).

Nós saímos da cidade de Uyuni e terminamos no Atacama onde seguimos viagem…

O passeio dura quatro dias e passa pelo maior Salar do mundo, pelo surreal deserto de Salvador Dalí, por várias Lagunas, paisagens impressionantes e, (para mim) o ponto alto da viagem, que infelizmente não pude subir, o Vulcão Licancabur.

Há outra opção de passeio se você tiver que voltar para a Bolivia, são 3 dias e não chega à fronteira para entrar no Chile.

Foto - Jipe.gif

O Salar de UYUNI:

Está localizado ao sudoeste da Bolívia, no altiplano no coração da cordilheira dos Andes. É a segunda região mais alta habitada no mundo, sua altitude é de 4000 metros.

Salar

É isolado, com baixas condições climáticas, formado por terra coloridas, um imenso deserto de sal branco diamante, lagoas vermelhas e verdes, rochas esculpidas por erosões, vulcões, llamas e flamengos rosas, gêiser com cheiro de enxofre e cactos gigantes.

DESRETO SALVADOR

É uma reserva ambiental que abriga mais de 50 % da reserva mundial de lítio. É o maior do mundo com uma superfície de 12500 km2, resultado da evaporação de antigos lagos.

Salar II

Ao sul do salar fica a região “Sud-Lipez”, praticamente ausente de vida humana. As condições insólitas desencorajam qualquer cultura e instalação.

Os lagos, entre montanhas de origens vulcânicas, têm águas sulfurosas, salgadas e ainda coloridas!

flamicos

A lagoa colorada transita entre marrom e vermelho sangue é decorrente das algas microscópicas que tem um cenário único, completado pelos movimentos de pousos e decolagens de flamengos rosas.

Outro ponto marcante é a lagoa verde, devido a alta concentração de magnésio, com o vulcão Licancabur ao fundo. Entre as lagoas, encontramos o deserto de Salvador Dali, que recebe esse nome pois as pedras esculpidas pelos ventos evocam formas surrealistas. Como se não bastasse, nos deparamos com gêiser cheirando a enxofre e nascentes de águas quentes.

lICANCABUR.jpg
Vulcão Licancabur

O roteiro:

Saímos de La Paz e pegamos um ônibus até o Uyuni e de lá contratamos o passeio. Para economizar, pegamos um ônibus noturno, são cerca de 550 km de distância, por uma estrada de terra em péssimo estado, um trajeto que dura aproximadamente 10 horas.

Tivemos muito sorte, pois antes de irmos para o salar fizemos a trilha inca onde dois meninos nos indicaram uma agência, bem mais simples, mas até que estruturada.

Essa agência  era a única que estava levando os turistas para a “Isla Del Pescado”, pois tinha chovido muito nos últimos dias e não estava tão seguro. (não sei quem era mais desajuizada “a agencia” que deveria prezar pela segurança dos turistas ou “nós que escolhemos”).

Jeep

Verdade seja dita: Seria uma perda muito grande não visita-lá, ainda mais, que só o nosso 4×4  conseguiu chegar até lá, ou seja, tínhamos a Isla todo para nós.

Galerinha

Como disse a pouco, quando resolver fazer essa viagem leve em consideração o clima, é esteja preparado para uma variação considerável de temperatura entre o dia e a noite.

Fui em Janeiro e as temperaturas estavam muito elevadas, mas a noite caia bruscamente.

O vento durante o dia era cortante e tivemos a sorte, de pegar apenas um dia de chuva.

Dezembro e Janeiro é uma época muito chuvosa e isso causa o transbordamento de algumas regiões (tanto que algumas agências não faziam o passeio da isla). Então se puder escolher opte pela primavera ou outono.

O passeio:

Cemitério dos trens

IMG_1453.JPG
Cemitério dos Trens

IMG_1456.JPG

Isla del pescado:

A chamada ilha do Pescado localiza-se no salar de Uyuni, no Departamento de Potosí e no Departamento de Oruro, no sudoeste da Bolívia.

Isla II.jpg
Isla del Pescado

Constitui-se numa pequena elevação de terra, cercada de sal por todos os lados

Em pleno salar é um dos poucos pontos com alta concentração de seres vivos. Entre estes, destacam-se cactos com até dez metros de altura, com mais de 600 anos de idade.

Isla del pescado
O maior da ilha
Almoço isla.jpg
Tá na mesa pessoal!!!!!!

IMG_1528IMG_1533IMG_1534

Continuamos cruzando os caminhos de sal que mais parecia uma mar por conta das chuvas.

Pasisagem
Estradas do Salar

Pernoitamos num hotel de sal que o chuveiro era pago e bem sujo…mas a comida era bem boa…Acho que era sopa vegetariana e carne de IIama.

Deserto de Salvador Dalí:

O deserto está situado no departamento boliviano de Potosí, dentro da Reserva da Fauna Andina Eduardo Avaroa, com uma área de 110 km quadrados está a 4740 metros acima do nível do mar.

dESERTO SLAVADOR DALI.jpg

Este deserto leva o nome do pintor catalão devido às formações rochosas assemelharem muito com as paisagens dos quadros de Dalí.

DESRETO SALVADOR

No deserto pode ser encontradas formações rochosas para lá de interessantes, como o Arbol de Piedra, um ícone dos quadros de Dalí. A formação rochosa assemelha como uma árvore e deixa a paisagem deslumbrante.

Meditação.jpg

 

gEYSER

Os tons das montanhas que cercam o deserto possuem tons sobrenaturais, uma gama de cores entre vermelho, roxo, azul e verde musgo, que se dá devido aos minerais contidos na região, graças as atividades vulcânicas e energia geotérmica do lugar.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O que levar:

Seja qual for a estação do ano é preciso estar atento aos itens essenciais em uma viagem como essa, como filtro solar, hidratantes, remédios para aliviar os sintomas do mal de altitude, roupas de frio, roupas de calor, etc.

E depois aproveite cada segundo como se fosse o último….

Eu quero fugir de novo para as montanhas!!!!

Espero que tenham gostado…

Esse é, sem dúvida, um dos lugares que mais amo na vida!!!!

bjs,

Loreth

 

 

 

 

 

 

4 comentários em “Uma incrível jornada – A travessia do Salar do Uyuni

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s